domingo, 31 de agosto de 2008

Procura-se um cajado!

O pastor amoroso perdeu o cajado,
E as ovelhas tresmalharam-se pela encosta,
E, de tanto pensar, nem tocou a flauta que trouxe para tocar.
Ninguém lhe apareceu ou desapareceu... Nunca mais encontrou o cajado.
Outros, praguejando contra ele, recolheram-lhe as ovelhas.
Ninguém o tinha amado, afinal.
Quando se ergueu da encosta e da verdade falsa, viu tudo:
Os grandes vales cheios dos mesmos vários verdes de sempre,
As grandes montanhas longe, mais reais que qualquer sentimento,
A realidade toda, com o céu e o ar e os campos que existem,
E sentiu que de novo o ar lhe abria, mas com dor, uma liberdade no peito.

Fernando Pessoa - O Pastor Amoroso

sexta-feira, 29 de agosto de 2008

Free at last! Free at last!

Esta é uma homenagem muito simples que senti vontade de fazer ao Rev. Martin Luther King Jr. Nesta semana comemora-se o aniversário de quarenta e cinco anos do memorável discurso "I Have A Dream". Não deixe de assistir ao vídeo legendado do referido discurso no final do post. O texto abaixo é um trecho do artigo "A falta que fazem os profetas", do Pr. Ricardo Gondim, publicado na Revista Ultimato e em seu site (leia a íntegra do texto clicando no título do post).

(...)

O movimento evangélico brasileiro necessita de homens como Martin Luther King Jr, um dos mais autênticos profetas do século XX. Sua vida, tantos anos depois de sua morte, continua impressionando pela coerência, bravura e profundo compromisso com os valores do reino de Deus.

Li sua autobiografia e confesso que senti o meu coração desafiado por esse homem que viveu, falou e lutou como um profeta para os americanos mas cuja vida inspira todas as nações.

Ele nasceu em 15 de janeiro de 1929 em Atlanta, Geórgia, foi ordenado como pastor batista em 25 de janeiro de 1948. Decidiu que jamais se curvaria às leis segregacionais do sul dos Estados Unidos quando assumiu a igreja que seu pai pastoreava, a Dexter Avenue Church em Montgomery, Alabama.

Nesta cidade aconteceu o grande boicote às companhias de ônibus. Rosa Parks, uma costureira de quarenta e dois anos, recusou-se ceder seu lugar dentro de um ônibus a um homem mais jovem que ela e foi presa. Um movimento se organizou na cidade e King Jr foi eleito por unanimidade o seu presidente. Depois de várias vezes preso, de sofrer atentados como uma bomba que foi jogada no alpendre de sua casa em 27 de janeiro de 1957, ele passou um mês na Índia, aprendendo os princípios de não-violência usados por Ghandi, na resistência ao imperialismo Britânico. Aplicou-os nos Estados Unidos e conseguiu vencer a tirania e o ódio com amor.

Em 28 de agosto de 1963, King Jr subiu os degraus do Memorial de Lincoln para fazer o seu mais famoso discurso, I Have a Dream (veja o vídeo neste post) . Sua voz ecoava por todo o mundo enquanto a paixão de um profeta se derramou por seu povo. Era o coração de Deus que pedia que os homens não fossem julgados pela cor de sua pele, mas pelos conteúdos do caráter. Sua vida impressionou tanto que em 10 de dezembro de 1964, recebeu o Prêmio Nobel da Paz.

Lendo-o, juntei alguns de seus pensamentos, reproduzo-os aqui para que notemos a falta que os profetas fazem.

Homens e mulheres vivendo em comunidade.

“Quando o indivíduo não é mais um verdadeiro participante e não percebe sua responsabilidade para com sua sociedade, os conteúdos da democracia se esvaziam. Quando a cultura se degrada e a vulgaridade é entronizada; quando o sistema social não constrói segurança, mas induz o medo, inexoravelmente o indivíduo é impelido a se isolar completamente desta sociedade sem alma. Este é o processo que produz alienação – talvez a mais insidiosa característica da sociedade contemporânea.”

A grandeza dos ideais:

“A medida de um homem não se ele afirma em tempos de conforto e conveniência, mas repousa nos seus posicionamentos em tempos de desafios e controvérsias.”.

“A coragem encara o medo e, portanto, dele se assenhora. A covardia reprime o medo, e portanto, dele se torna escrava. Homens corajosos nunca perdem o elã pela vida mesmo que a situação que vivam seja sem brilho; covardemente, homens esmagados pelas incertezas da vida perdem o desejo de viver. Devemos constantemente erguer diques de coragem para deter as inundações do medo.”

O próximo:

“A maioria daqueles que vivem na América rica ignora os que vivem na América pobre; ao fazerem isso, os ricos americanos terão que eventualmente enfrentar a pergunta que Eichmann preferiu ignorar: Qual a minha responsabilidade pelo bem estar do meu próximo? Ignorar o mal é tornar-se cúmplice dele. “

Deus e religião


“ A ciência investiga; a religião interpreta. A ciência fornece o conhecimento que dá poder; a religião fornece a sabedoria que dá controle. A ciência lida com os fatos, a religião lida primordialmente com os valores. As duas não são rivais. Elas se complementam. A ciência ajuda a religião a não cair no vale paralisante da irracionalidade e do obscurantismo. A religião previne a ciência de despencar no pântano do materialismo obsoleto e do niilismo moral.”

Em 4 de abril de 1968 uma bala assassina silenciou esse profeta de Deus. Contudo, sua vida continua inspirando milhões de homens e mulheres. Martin Luther King, Jr, não pode ser esquecido da geração evangélica deste novo milênio.

Que ele nos inspire a desejar mais profetas na igreja. Precisamos de homens e mulheres que não nos deixem acostumados com a ordem natural das coisas. Gente, cuja voz troveje ira contra a iniqüidade e a injustiça, mas nunca falem sem a ternura de Deus. Que o mote de Luther King Jr - I have a dream - ecoe entre as paredes das igrejas, para que nunca deixemos de sonhar em tempos de imediatismos.

Jesus mandou que orássemos pedindo mais obreiros para a sua seara. Minha prece é que ele mande mais profetas.

Soli Deo Gloria.

video

Deus existe? A banana diz que SIM!



Uma colcha de retalhos. Esta é a melhor definição que consegui para este blog. Não sei se é uma colcha bonita ou feia. Se é curta ou comprida. Se é fina ou grossa. Agora, de uma coisa eu tenho certeza - ela é bem colorida. Esta é a minha intenção, pelo menos. Senão, veja: um professor de Curitiba, com uma perspicácia fenomenal, desenvolveu uma das melhores argumentações acerca da existência de Deus usando - pasmem! - uma simples banana. Clique no título deste post e confira. É fantástico o que ele faz. Por essas e por outras é que 'A Pedra da Esquina' está se tornando uma colcha de retalhos bem colorida. SexxxChurch e Pavablog estão aí pra confirmar isso. Diversidade, inteligência e missão integral. Perfect!

quinta-feira, 28 de agosto de 2008

A Fabulosa Bíblia dos Gatos




Olha só que negócio doido! Dê um clique no título do post e você vai para A Bacia das Almas. Eu ri muito, com a consciência pesada, é verdade.

Igreja. Sinal do Reino.

Uma reflexão dos principais conteúdos da fé cristã a partir do Movimento Evangelical - Missão Integral.

Resgatada em 1974 no Congresso Internacional de Evangelização, realizado em Lausanne, Suiça, promovido pela Associação Billy Graham, e reunindo mais de 10.000 cristãos oriundos de 150 nações, a Teologia Evangelical - Missão Integral - oferece uma lente através da qual lemos as Escrituras Sagradas em busca de referenciais para a presença do cristão/comunidade cristã no mundo: "Assim como o Pai me enviou ao mundo, também eu vos envio".

Os principais conteúdos da fé cristã são articulados pela Teologia Integral a partir da consciência da necessidade de levar em consideração o ser humano e suas circunstâncias, e no fato de que, sendo certo que a fé nos remete ao eterno e sagrado, uma fé que não se impõe no histórico e secular é estéril e sem sintonia com o mundo contemporâneo.

Por estas razões, a Teologia Integral desenvolve conceitos chaves, como: salvação, igreja - natureza e missão, antropologia, proclamação da fé, e, principalmente, reino de Deus. Vejamos um por vez.

O Reino de Deus é o domínio soberano de Deus, que entrou na história na pessoa de Jesus, com a finalidade de sobrepujar o mal, libertar o homem de seu poder e possibilitar sua participação nas bênçãos inerentes ao governo de Deus sobre todo o universo desde agora e para toda a eternidade.

A soteriologia da missão integral é o domínio de Deus, de direito e de fato, sobre todo o universo criado, através daqueles restaurados à imagem de Jesus Cristo, o primogênito dentre muitos irmãos. A salvação é o Reino de Deus em plenitude, onde a vontade de Deus é realizada - concretizada em perfeição. A redenção pessoal/individual é a apenas uma parcela do que o Novo Testamento chama salvação: o novo céu e a nova terra.

A eclesiologia da missão integral é o novo homem coletivo. Deus não está salvando pessoas, está restaurando a raça humana. Estar em Cristo é não apenas ser nova criatura, mas também e principalmente ser nova humanidade - não mais descendência de Adão, mas de Cristo, o novo homem - homem novo. O caos do universo é fruto da rebeldia da raça humana em relação ao Deus Criador; a redenção do universo - fazer convergir todas as coisas em Cristo - é resultado da reconciliação da raça humana com Deus - Deus estava em Cristo reconciliando consigo a humanidade. No Cristianismo, a salvação é pessoal, a peregrinação espiritual é comunitária, e nada, absolutamente nada, é individual. A igreja é a unidade dos redimidos que são transformados de glória em glória, pelo Espírito Santo, até que todos cheguem juntos à estatura de varão perfeito.

A missiologia da missão integral é a sinalização histórica do Reino de Deus, que será consumado na eternidade. A igreja, o corpo de Cristo, é o instrumento prioritário através do qual Cristo, o cabeça, exerce seu domínio sobre todas as coisas, no céu, na terra e debaixo da terra, não apenas neste século, mas também no vindouro. A missão da igreja é manifestar aqui e agora a maior densidade possível do Reino de Deus que será consumado ali e além. O convite ao relacionamento pessoal com Deus é apenas uma parcela da missão. A missão integral implica a ação para que Cristo seja Senhor sobre tudo, todos, em todas as dimensões da existência humana.

A antropologia da missão integral é a unidade indivisível do "pó da terra/fôlego da vida", as dimensões física e espiritual do ser humano. "Corpo sem alma é defunto; alma sem corpo é fantasma"; "Cristo veio não só a alma do mal salvar, também o corpo ressuscitar". A ação missiológica e pastoral da igreja afeta a pessoa humana em todas as suas dimensões: bio-psíco-espiritual-social - a pessoa inteira em seu contexto - o homem e suas circunstâncias.

O kerigma, evangelização, na missão integral é a proclamação de que Jesus Cristo é o Senhor, seguida da convocação ao arrependimento e à fé, para acesso ao Reino de Deus. A oferta de perdão para os pecados pessoais é o início da peregrinação espiritual, porta de entrada para o relacionamento de submissão radical a Jesus Cristo, a partir do que a pessoa humana e tudo quanto ela produz, passam a servir aos interesses do reino de Deus, existindo e funcionando em alinhamento ao caráter perfeito de Deus.

Ed René Kivitz (clique no título do post e leia mais artigos deste autor que, aliás, são todos excelentes e dignos de consideração e reflexão sérias. Vai por mim).

quarta-feira, 27 de agosto de 2008

Breve Dicionário Neo-evangélico

Clique no título do post para ler postagem original no blog Rapensando

- Crer absolutamente naquilo que o pastor/apóstolo diga.

Amor - Atender o chamado do líder de louvor e dizer para a pessoa ao seu lado: "Eu te amo em Cristo Jesus".

Promessa - Carro, casa, dinheiro.

Evangelismo - Mandar alguém ir à igreja.

Adorar - Chorar durante horas cantando algum tipo de música lenta e repetitiva.

Fidelidade - Qualidade mostrada no ato de dizimar/ofertar mensalmente.

Levita - Pseudo-músico que se acha superior aos demais por cantar/tocar.

Perdão - Ficar fora de comunhão durante um tempo variável de acordo com o pecado.

Comunhão - Não ter ninguém te acusando ou falando a seu respeito.

Profeta - Expert em leitura corporal e oratória.

Deus - O cara responsável por abençoar quando mandado.

Espírito Santo - Ser que faz as pessoas caírem e receberem novas unções.

Jesus - Um cara que fez o oposto do que deve-se fazer.

Inferno - Lugar para onde os que não tem salvação irão.

Diabo - O culpado por tudo de ruim que aconteça.

Esperança - Ser tão rico quando os apóstolos da TV.

Salvação - Alcançada indo à igreja e sendo fiel (vide fidelidade).

Unção - Algo que se recebe para se sentir superior aos outros.

Abençoado - Ser cabeça e não cauda.

Pecado - Infração cometida contra a igreja e variável com a cartilha.

Igreja - Templo luxuoso que exige fidelidade para sua manutenção.

segunda-feira, 25 de agosto de 2008

Passam as medalhas, ficam os amigos.

(clique no título do post e veja a entrevista).


Acabei de ver o Bernardinho chorando em uma entrevista para a TV Globo. Fato raro e muito significativo. É um ciclo que se fecha na vida de um time que ganhou quase tudo nestes últimos oito anos. Nunca antes na história desse país (êê, Lula!) um time foi tão vencedor em competições de nível internacional. Isso precisa ser levado em conta e o fato de não ganhar dos norte-americanos não desmerece em nada essa trajetória vitoriosa. Parabéns ao Bernardinho, aos jogadores e a toda comissão técnica.

O que mais me tocou na entrevista foram as seguintes palavras: "as medalhas, eu não sei onde é que eles vão colocar. Certamente, alguns aqui, esquecidos - porque eu conheço! - não vão encontrar as medalhas na bagunça do quarto deles. Mas, certamente, vão saber onde é que está o amigo deles."

Tenho aprendido ao longo da vida (que nem é tão longa assim!) a valorizar pessoas em detrimento de coisas. Na fala do Bernardinho eu percebo essa ênfase. O mundo só está na situação em que está, porque as pessoas julgam que ter é mais importante do que ser. E na ânsia de ter (fruto da depravação estabelecida pelo pecado), vão passando por cima umas das outras sem a menor compaixão. Essa nunca foi a vontade de Deus. A única forma de vermos resgatada em nós a capacidade de valorizar gente ao invés de valorizar coisas e de valorizar o ser ao invés do ter é entregar toda a nossa vida para Jesus. Somente com a mente de Cristo é que poderemos viver essas palavras do Bernardinho. As pedras estão clamando!

Pense nisso.

sexta-feira, 22 de agosto de 2008

O convite.

Certa feita, estive em Belo Horizonte participando de um seminário sobre igreja e inclusão social, o que, por si só, já é uma boa notícia. Bem, como era esperado, pouca gente foi, aliás, nem a igreja promotora foi, mas, tudo bem, a iniciativa vale por si só, foi um evento em parceria com a Visão Mundial. É interessante perceber como esse tema atrai tão pouca gente, talvez as pessoas achem que isso é uma atividade extra da igreja e que só os que têm chamado específico devem comparecer. A propósito, uma vez fui interrompido numa aula sobre isso, por um participante, que me perguntou se eu não estava dando trabalho demais para a igreja. Acho que é assim que boa parte da igreja pensa: "a gente já tem de evangelizar, depois discipular, o que, por si só é trabalho para uma vida. E ainda tem de incluir socialmente?"

O que é preciso perceber é que incluir é o papel da igreja por excelência. A pessoa que entrega a vida para o Senhor é incluída no reino de Jesus e na igreja, e isso significa que é incluída numa nova forma de ser gente e de viver como gente e de ser comunidade. A nova forma de ser gente é ser como Jesus, que é gente como gente deve ser, a nova forma viver como gente é viver com dignidade e a nova forma de ser comunidade é viver a comunhão que o amor propicia. E como vive gente que se parece com Jesus? E como é que vive a comunidade que se pauta pela comunhão que o amor propicia? Vive incluindo. Quando os membros da igreja primitiva vendiam o que tinham para ajudar aos necessitados, ou levantavam ofertas para ajudar igrejas que estavam passando por crises nacionais, como fizeram com a igreja em Jerusalém, estavam praticando a inclusão social. Entenderam que os irmãos tinham o mesmo direito à comida, saúde, transporte, trabalho, educação que os mais privilegiados tinham, e repartiram. A vida da igreja é incluir, nós pregamos para incluir, nós deveríamos viver para incluir, portanto, não deveria haver para nós outra forma de discutir e de agir na sociedade senão pela perspectiva da inclusão.

Jesus veio revitalizar o conceito de humanidade, portanto, veio chamar os homens à contramão do individualismo, e quem está na contramão do individualismo está na mão da inclusão social. Portanto, era de se esperar que a igreja se incomodasse com os excluídos, porque nós sabemos que a exclusão é a negação da salvação. A igreja deveria ser o maior movimento de inclusão social jamais visto, o maior movimento de repúdio ao individualismo e ao consumismo, o maior movimento de promoção comunitária e de promoção da dignidade humana. Espero que no próximo encontro tenha mais gente. Você está convidado.

Ariovaldo Ramos (Blogando Graça)

Creia e Ore. A oração tem poder.

Clique no título do post e assista ao testemunho impressionante de Alexander Ogorodnikov, líder cristão russo, que foi perseguido por causa de sua fé em Jesus Cristo.

quarta-feira, 20 de agosto de 2008

Os mundos de Ketleyn e Phelps.

Michael Phelps e Ketleyn Quadros são atletas dos Jogos Olímpicos de 2008. Ela ganhou uma magra medalha de bronze e ele não aguenta o peso de tanto ouro pendurado no pescoço. Os dois apareceram na primeira página dos principais jornais brasileiros por motivos diferentes. Ele se tornou o nadador mais premiado de todos os tempos e riquissímo porque empresta um sorriso maroto para as multinacionais do esporte. Ela vai voltar para uma casa humilde nos arredores de Brasília. Phelps e Ketleyn vivem realidades e universos distintos.

Ketleyn nasceu em um país desgraçadamente injusto. Sua mãe costurou o seu primeiro kimono com retalho de sacos. Phelps vive em um país onde a escola pública ainda existe. Lá, os campeonatos estudantis são levados a sério, alguns televisionados. Campeões nas High Schools já são celebridades.

A peneira esportiva que Phelps teve que subir tem malhos apertados. Porém, quando terminou os estudos secundários, o "fenômeno" da natação ganhou bolsa de estudos integral para cursar uma universidade com muita verba. Paparicado pelos melhores treinadores, nadou a vida inteira em piscinas maravilhosas. Se precisou corrigir o estilo, tinha à disposição aparelhagem de vídeo de última geração. Nutricionistas ajudaram para que nunca se preocupasse com o que comer. A ascenção de Phelps espelha a cultura do seu país.

A de Ketleyin também. Sua mãe precisou fazer rifa e pedir dinheiro emprestado para poder assistir à filha brilhar em Pequim. Chorou enquanto lembrava do sacrifício de pegar ônibus caindo os pedaços para que Ketleyn entrasse no tatame.

Iguais a ela, muitas mães sofrem o pão que o diabo amassou para que os filhos lutem nos espartanos campeonatos brasileiros de judô.

Rarissimas escolas públicas brasileiras possuem algum complexo esportivo. Quando esporadicamente uma Ketleyn brilha é preciso lembrar que outras milhões nunca escapam da miséria. Mocinhas trabalham durante o dia e se arrastam para aulas sonolentas à noite. Com péssimo rendimento acadêmico, elas se vêem forçadas a aceitar sub-empregos com salário indigno. Cedo engravidam e perpetuam o perverso ciclo de injustiça, que condena este país a cáca que é.

Os nadadores que chegaram em sétimo ou oitavo na natação são oriundos da classe média, treinam em clubes da elite e logo que mostraram talento, emigraram para o exterior em busca de melhores condições. A “mãe gentil” não ajuda. Até os esportes coletivos sobrevivem de clubes ricos e de patrocínio empresarial. Mesmo assim, sobra pouco, o voley talvez.

Gosto muito de esporte, mas não agüento as patriotadas ridículas dos telejornais. Já sinto náusea de imaginar a festa que vão fazer quando o país ganhar uma ou duas suadíssimas medalhas de ouro. Tentarão encobrir a falta de vergonha na cara dos governantes com o mérito de algum solitário herói. O filtro social brasileiro exclui milhões. O maratonista empurrado, mas que ainda assim ganhou um bronze na Olimpíada grega havia sido um boia fria, cortador de cana.

Deus livre o Rio de Janeiro de ser escolhido para sediar qualquer outro evento esportivo internacional. A copa do mundo vai encher as burras das empreiteiras que vão construir elefantes brancos. Os dividendos sociais serão poucos, muito poucos.

Subdesenvolvidos, continuamos maravilhados com o sorriso despretensioso do Michael Phelps e com a algazarra tupiniquim de novos brasileiros com nome esquisito que podem brilhar.

Ricardo Gondim

Soli Deo Gloria.

terça-feira, 19 de agosto de 2008

CENA - UMA ILHA DE ESPERANÇA NO CENTRO VELHO DE SÃO PAULO




Na semana passada o Senhor me deu a oportunidade de visitar a CENA - Comunidade Evangélica Nova Aurora. Trata-se de uma missão evangélica interdenominacional que atua desde 1987 no centro velho da capital paulista, lugar que, apesar dos esforços das autoridades públicas e sociedade civil, ainda é conhecido como "Cracolândia" ou "Boca do Lixo".

No bairro da Luz funciona o Clube Esperança Nova Aurora, também conhecido como Casa Amarela. A estrutura física permite atendimento espiritual, psicológico, médico, dentário, jurídico e o desenvolvimento de atividades esportivas. No entanto, apesar dessa ótima estrutura, há uma carência muito grande de profissionais que possam dispor de horas ou dias na semana para prestar atendimento voluntário nas áreas de saúde, esporte e assistência social.

Visitei também a Fazenda Nova Aurora. Situada no município de Juquitiba, esta fazenda existe há doze anos e presta um importante serviço no apoio aos dependentes químicos que estejam dispostos a dar os primeiros passos rumo a uma nova realidade de vida. Fiquei comovido com a devoção com que os missionários e voluntários da CENA realizam este trabalho tão árduo e, ao mesmo tempo, tão abençoador e abençoado.

A CENA é um sinal do Reino de Deus e existe com o objetivo de alcançar vidas com as Boas Novas do Evangelho. Além do Clube Esperança Nova Aurora (resgate) e da Fazenda Nova Aurora (restauração), a CENA realiza o trabalho de reintegração das pessoas atendidas através da Casa Família. Nesta etapa do tratamento, os moradores recebem apoio para se reintegrarem à vida social por meio de recolocação profissional, retorno aos estudos, convivência familiar e tentativa de reaproximação familiar.

Fiquei mais maravilhado com a fato de saber que a atuação da CENA não se limita aos moradores de rua. Quando visitei a Casa Amarela (tarde do dia 14/08), encontrei muitas crianças de várias idades que estavam sendo atendidas num trabalho que, segundo me infomaram, visa acolher crianças em situação de risco ou pré-rua, com o objetivo de transmitir a elas o Evangelho e dar orientações que ajudem no seu desenvolvimento espiritual, emocional, psicológico e físico, diminuindo, desta forma, o risco destas crianças virem a se envolver com drogas e com a criminalidade na sua adolescência.

Este trabalho precisa do nosso apoio. O link do site da CENA está disponível neste blog. Visite o site e saiba como ajudar. Participe desta obra tão importante e que está fazendo toda a diferença nas vidas de pessoas que, de outra forma, não teriam a menor chance diante da crueldade deste mundo. Ajude a CENA a proclamar Jesus, a resplandecente Estrela da Manhã, e a continuar fazendo jus ao seu nome: Nova Aurora.

YouTube - Igreja Batista Jardim Novo Cajati

YouTube - Igreja Batista Jardim Novo Cajati

Parte do meu povo. Alegria pura!

quinta-feira, 14 de agosto de 2008

UM DIA A CASA CAI!

O hábito de ocultar pecados é quase tão antigo quanto o próprio homem. Adão e Eva que o digam (Gn 3.8)! Embrenharam-se entre as árvores do Jardim do Éden na tentativa de esconder de Deus o que haviam feito, mas logo perceberam a inutilidade de tal ato.


Assim como o pecado, a tendência que temos de tentar encobrir a nossa desobediência nos foi transmitida pelo primeiro casal e não são poucos os exemplos bíblicos de pessoas que escolheram trilhar por esse caminho e depois acabaram desmascaradas. Isso nos mostra que, não importa como foi praticado, o pecado sempre será exposto.


Às vezes nos comportamos como Caim, que cometeu o seu pecado em segredo (Gn 4.8-10).


Ou como Esaú, que se deixou levar pelo impulso do momento (Gn 25.32,33; Hb 12.16,17).


Em muitos casos leva anos pra que sejamos descobertos, como aconteceu aos irmãos de José (Gn 42.21).


Pode ser que “a casa caia” rapidamente, como aconteceu com Acã, que tentou ocultar o seu pecado num lugar bem escondidinho. Não teve jeito! Foi descoberto e pagou caro por isso (Js 7.21).


Tem aqueles que agem como Sansão, que pecou “meio sem querer” (Jz 16.16,17), ou como o rei Acabe, que foi instigado por outras pessoas (I Rs 21.7,20).


E não são poucos os que acabam como Belsazar, que cometeu muitos pecados sob a influência do álcool (Dn 5.1,2 e 27).


Tem também o rei Herodes, que pecou por causa de uma promessa tola (Mt 14.6-10).


Tem o pecado de Judas Iscariotes, cometido sob a aprovação das autoridades (Mc 14.10,11). No mesmo episódio em que Judas pecou, pecaram Pilatos (para agradar o povo) e os judeus, por ignorância (Mc 15.15; Lc 23.34).


Enfim, pecado é pecado e não há como escondê-lo. Ainda que não sejamos descobertos nesta vida.


O sábio que escreveu o Eclesiastes concluiu o seu livro dizendo que devemos temer a Deus e obedecer aos Seus mandamentos. Ele dá, ainda, uma advertência muito séria: “Nós teremos de prestar contas a Deus de tudo o que fizermos e até daquilo que fizermos em segredo, seja o bem ou o mal”. (Ec 12.14).


Pense nisto.

quarta-feira, 13 de agosto de 2008

YouTube - Pedabobos: Cérebros dos casais - JV na Estrada

YouTube - Pedabobos: Cérebros dos casais - JV na Estrada

Excelente!!! Quem ri com Cristo, ri melhor.

Alienação olímpica.





A China adota a pena de morte e é um dos países que mais executa pessoas no mundo. Só em 2005 cerca de 1.770 pessoas foram executadas. Isso representou 80% das penas de morte aplicadas no mundo naquele ano. Os casos de AIDS aumentaram 30% em 2006 e 650 mil chineses são portadores do vírus HIV. Cerca de 300 mil chineses já desenvolveram a doença e, segundo a ONU, esse número pode chegar a 10 milhões se a epidemia não for contida. Ainda na área da saúde pública, um dado que preocupa bastante é o que dá conta de que 36% da população fuma regularmente. A depressão já atinge 20% das crianças chinesas. Há 1 milhão e 900 mil tuberculosos, 10 milhões de deficientes mentais e 20 milhões de surdos. Essas informações não são veiculadas pela Rede Globo na transmissão das Olimpíadas. A China é um gigante que precisa de luz. Enquanto isso, cá estamos nós brasileiros, plantados diante da televisão, aprisionados na nossa alienação habitual e ávidos por uma medalhinha de ouro. Triste sina terceiro mundista!

Os cartazes acima foram criados pela agência DDB de Budapeste para a Anistia Internacional.

China. Um gigante que chora.

Mesmo que a propaganda do governo chinês se esforce em mostrar um país justo, mais da metade da população está abaixo da linha de pobreza, onde cerca de 200 milhões de pessoas vivem com menos de 1 dólar por dia. Ou seja, o impressionante crescimento econômico que a China vem experimentando nos últimos vinte anos não beneficia as camadas mais baixas da população. Por isso, a China é um gigante que chora. É uma nação que sofre.

domingo, 10 de agosto de 2008

Cuidado com a cosmética do capeta!

O jornalista Elio Gaspari, em seu livro “A Ditadura Encurralada”, conta que o general João Baptista Figueiredo, ex-presidente do Brasil, sofria de um problema nos olhos – uma conjuntivite talvez – que o obrigava a usar óculos escuros constantemente. Preocupado com isso, o então secretário do presidente Ernesto Geisel, Heitor Ferreira, mandou-lhe um colírio e um bilhete com os seguintes dizeres:

- Três gotas em cada olho, “dois olhos claros e bonitos (...)”.

Ao que Figueiredo respondeu:

- Vejo que o amigo está preocupado com a minha imagem (...). O que adiantará melhorar o “figurino” e a fisionomia se a alma continua a mesma? Melhor será me deixar ficar como sempre fui. De qualquer forma vou pingar de acordo com a sua recomendação.

Na época em que este diálogo foi travado (há cerca de trinta anos), articulava-se a candidatura de Figueiredo para a presidência. Logo, a preocupação de Heitor Ferreira com a imagem dele era compreensível, já que o mesmo poderia ficar caracterizado pelo uso constante dos referidos óculos.

“Mas”, você deve se perguntar, “qual é o seu propósito em falar dessa curiosidade histórica nesse espaço?” Eu explico. Leia novamente a frase destacada em amarelo. O que você acha dessa pergunta? Será que resolveria pro ex-presidente melhorar o “figurino” apenas? “Depende do propósito da mudança”, alguns diriam. Pois é. Foi essa pergunta que me fiz quando me deparei com essa história no referido livro. Será que adianta melhorar a fachada, “dar um tapa no visual”, como dizem por aí?

Quanto tempo você tem gastado tentando melhorar o “figurino” e a fisionomia? Quanto tempo você tem passado diante do espelho? É um tempo proporcional ao que você gasta em oração e leitura da Bíblia? É proporcional ao tempo que você separa para estar a sós com Deus? Você é tão liberal em ofertar para a obra de Deus quanto o é comprando produtos de beleza e roupas?

Pense nisso, querido.

É lamentável que o exterior seja valorizado em detrimento do interior. É lamentável que vivamos numa sociedade que valoriza mais aquilo que “parece” do que aquilo que realmente “é”. É mais lamentável ainda que essa lógica cosmética do inferno tenha invadido a igreja de Cristo e tomado conta de pessoas que, embora aparentem uma vida de santidade e pureza, escondem debaixo de uma máscara toda a sordidez de um comportamento absolutamente contrário à vontade de Deus.

Foi justamente sobre isso que Cristo falou quando advertiu firmemente aos fariseus em Mateus 23.27,28: — Ai de vocês, mestres da Lei e fariseus, hipócritas! Pois vocês são como túmulos pintados de branco, que por fora parecem bonitos, mas por dentro estão cheios de ossos de mortos e de podridão. Por fora vocês parecem boas pessoas, mas por dentro estão cheios de mentiras e pecados.

Que possamos atentar bem para essas palavras de Jesus e fazer um auto-exame na nossa vida. O “figurino” é importante, mas não mais do que aquilo que se passa no interior do nosso ser.

sábado, 9 de agosto de 2008

AVALANCHE


No fim de Julho, uma avalanche na montanha K2, o segundo ponto mais alto do mundo, no Paquistão, causou a morte de pelo menos 12 alpinistas.

“Avalanche” é uma palavra francesa que veio a ser utilizada na língua portuguesa com a mesma grafia. Significa uma massa de neve ou gelo que se desprende de uma montanha, arrastando tudo o que encontrar pela frente. Pode ser também um deslizamento de terra, como os que aconteceram em vários pontos da nossa cidade durante as violentas chuvas que tivemos em Janeiro último, um dos quais atingiu a casa do irmão José Carlos, padastro de Ezequias.

Nas nossas vidas também acontecem avalanches. Eu já experimentei algumas. No ano passado a minha família enfrentou a pior de todas. Aliás, conforme eu já disse em outras ocasiões, o ano de 2007 foi terrível para nós. Muitos fatos lamentáveis aconteceram conosco, entre eles o falecimento do meu sobrinho e o episódio depressivo sofrido pelo meu pai.

No ano passado, nesta mesma época, estávamos lutando contra o recrudescimento da enfermidade do Seu Joel. A depressão agiu com tanta violência, que eu custava a acreditar no que estava vendo. Um homem sério, lúcido, carinhoso, destemido, fiel a Deus, esposo dedicado, pai exemplar e com tantas outras qualidades excelentes, estava sendo empurrado para um estado de letargia, confusão mental, prostração diante da vida e debilidade física que intrigava a todos nós. Era um caminho que, fatalmente, o conduziria à morte, não fosse por um detalhe (bendito detalhe!): este homem é um servo do Deus Altíssimo. Foi por isso que alcançamos a vitória. Cumpriu-se na vida do meu pai aquilo que diz o salmista: “O SENHOR firma os passos do homem bom e no seu caminho se compraz; se cair, não ficará prostrado, porque o SENHOR o segura pela mão. Fui moço e já, agora, sou velho, porém jamais vi o justo desamparado, nem a sua descendência a mendigar o pão. Vem do SENHOR a salvação dos justos; ele é a sua fortaleza no dia da tribulação.” (Salmo 37.23-25 e 39).

Na tragédia do K2 alguns alpinistas foram resgatados com vida. Viram a face da morte e foram poupados. O meu pai se encontra na mesma condição, pois também é um sobrevivente. Louvo ao Senhor pelo fato de termos o que comemorar nesse Dia dos Pais. Louvo ao Senhor pelo pai fantástico que ele me deu e pelas lições de vida que tenho aprendido na convivência com ele. Louvo ao Senhor por todos os pais e os parabenizo neste dia tão importante. “Que o SENHOR os abençoe e os guarde; que o SENHOR os trate com bondade e misericórdia; que o SENHOR olhe para vocês com amor e lhes dê a paz.” (Números 6.24-26).

quinta-feira, 7 de agosto de 2008

PÉROLAS DO EVANGELIQUÊS

“Não te espantes diante deles, porque o SENHOR, teu Deus, está no meio de ti, Deus grande e temível”. Deuteronômio 7.21.

Fico meio cismado quando ouço a expressão: “é grande o que Deus vai fazer na sua vida, viu?!” Ou aquela: “Olha, Deus deve ter um algo muito grande para a nossa igreja!” Estas são expressões batidíssimas daquilo que se convencionou chamar de evangeliquês, o dialeto particular que é falado nas igrejas evangélicas em geral. Confesso que não consigo imaginar algo que Deus tenha feito ou venha a fazer que não seja grande. Entendo o que as pessoas querem dizer, mas tenho dificuldade para seguir a mesma linha de raciocínio. Para mim, Deus é grande e tudo o que Ele faz tem proporções infinitas, cuja repercussão transcende a eternidade. Não espero nada pequeno do Deus a quem eu sirvo.

Creio que o problema está na nossa concepção de grandeza ou no que esperamos de Deus. Para nós, a grandeza reside em coisas ou acontecimentos megalomaníacos, espetaculares. Muitas pessoas dependem somente daquilo que podem ver ou sentir para acreditar na grandeza de Deus. Esperam por demonstrações sobrenaturais de poder e se recusam a conceber que um Deus grande não possa se manifestar de maneira simples. Aliás, ‘simples’ em termos. Chamamos de simples as coisas com as quais nos acostumamos. Você quer ver uma expressão do poder de Deus? Então levante cedo e assista ao nascer do Sol. Aquilo que chamamos de alvorada acontece todos os dias e, talvez por isso, não nos demos conta do quanto ela é maravilhosa, magnífica! Trata-se de milagre em estado puro. Perfeita manifestação da grandeza do Criador.

É importante que cada um de nós entenda o porquê de orarmos. O pastor Edison Queiroz, idealizador da campanha nacional de '40 Dias de Jejum e Oração', diz que “uma das maiores necessidades do povo de Deus é o avivamento espiritual”. Eu creio nisso também. Mas creio que este avivamento precisa começar primeiro na “minha” vida. Você não deve orar pensando nas mudanças que o seu vizinho, irmão, parente ou quem quer que seja vai receber e, sim, nas mudanças que você precisa receber. A oração tem o objetivo de nos levar a uma vida consagrada e cheia do Espírito Santo. Vida vivida no centro da vontade de Deus. Um avivamento que não leve em conta a exaltação da supremacia e do senhorio de Jesus Cristo na vida de cada cristão não pode ser chamado de avivamento. O apóstolo Paulo declara isso em Gálatas 2.20: “Assim já não sou eu quem vive, mas Cristo é quem vive em mim. E esta vida que vivo agora, eu a vivo pela fé no Filho de Deus, que me amou e se deu a si mesmo por mim”. O verdadeiro avivamento espiritual é a morte do eu e o viver de Cristo em cada coração. Você pode até gritar, pular, espernear e dar toda a pinta de que é um crente avivado. Porém, se Cristo não reina soberanamente na sua vida, tudo o que você faz não passa de teatro. Não é isso que devemos buscar.

Precisamos buscar a santificação das nossas vidas. Em toda a Bíblia encontramos textos que nos orientam quanto à vontade de Deus acerca desse assunto. Leia as Escrituras Sagradas tendo em mente que as ações que tomamos como cristãos – oração, leitura bíblica, adoração, prática do amor - não são exclusivamente naturais ou sobrenaturais. São ambas as coisas, funcionando ao mesmo tempo. Isso significa que algo simples, como orar, por exemplo, tem implicações no mundo visível e no mundo invisível. Quando oramos pela salvação de almas e nos colocamos nas mãos de Deus para sermos usados como instrumentos dessa salvação, tomamos parte numa batalha de proporções gigantescas. “Trata-se de uma batalha espiritual e universal aonde não existe campo neutro”, diz C. S Lewis, “aonde cada polegada, cada milésimo de segundo, é reivindicado por Deus e reivindicado por Satanás”, daí a necessidade de termos vidas santas.

Construir salas, aumentar e reformar templos, realizar campanhas evangelísticas e buscar a unidade e a maturidade espiritual da igreja não são fins em si mesmos. São meios para alcançarmos objetivos maiores, tais como proclamarmos a grandeza do nosso Deus e levarmos as boas novas de salvação ao maior número de pessoas possível. Essa é a grande obra que Deus tem para realizar na minha e na sua vida. Esta é a grande obra que Ele quer realizar através da vida da Igreja. Assim, toda vez que algum “profeta” vier lhe falar algo do tipo: “Deus tem uma grande obra...”, responda simplesmente: “Eu sei!”.

Lembre-se: “E respondeu e me falou, dizendo: Esta é a palavra do SENHOR a Zorobabel, dizendo: Não por força, nem por violência, mas pelo meu Espírito, diz o SENHOR dos Exércitos”. Zacarias 4.6.

Pr. Joel Jr.

YouTube - MISSÃO INTEGRAL IBJNC

YouTube - MISSÃO INTEGRAL IBJNC CULTO SOB A PONTE COM MORADORES DE RUA. TRECHO DA PREGAÇÃO SOBRE O AMOR DE DEUS. LUCAS 15.

YouTube - Chamada glogal para ação contra pobreza

YouTube - Chamada glogal para ação contra pobreza

OS VALORES DO EVANGELHO DO REINO ESTÃO SENDO DIVULGADOS E DEFENDIDOS PELOS FILHOS DESTE MUNDO. PERMANECEREMOS CALADOS?!

YouTube - SET! TV - Programa Nº 01 - Casa de Recuperação Missão Vidas

YouTube - SET! TV - Programa Nº 01 - Casa de Recuperação Missão Vidas

visite também o site www.nafrequencia.com

MISSÃO INTEGRAL. O EVANGELHO TODO, PARA O HOMEM TODO E PARA TODOS OS HOMENS. DEUS NÃO FAZ ACEPÇÃO DE PESSOAS.

A NOSSA MISSÃO É INTEGRAL!

DEUS NÃO NOS CRIOU PARA A FUTILIDADE. INFELIZMENTE, NOS ESQUECEMOS QUAL É A VERDADEIRA RAZÃO DA NOSSA EXISTÊNCIA NESSE PLANETA.

A HUMANIDADE SOFRE COM AS ESQUISITICES E FUTILIDADES DE PESSOAS QUE NÃO VALORIZAM OBJETOS E BENS DE CONSUMO PELOS BENEFÍCIOS QUE ESTES PODEM TRAZER SE USADOS NO SERVIÇO AO PRÓXIMO E, SIM, PELO CONFORTO QUE ESTES LHES PROPORCIONAM.

VALORIZAMOS MAIS AS PESSOAS PELA APARÊNCIA FÍSICA, PELO GRAU DE ESCOLARIDADE, PELO NOME DA FAMÍLIA E POSIÇÃO SOCIAL DO QUE POR ESTE FATO IRREFUTÁVEL DECLARADO NA BÍBLIA: TODOS SOMOS CRIADOS E AMADOS POR DEUS. ELE NÃO FAZ ACEPÇÃO ENTRE OS SEUS.

ENQUANTO USUFRUÍMOS DO CONFORTO DOS NOSSOS PALÁCIOS, OS NOSSOS SEMELHANTES ESTÃO À MÍNGUA NAS PRAÇAS E DISPUTAM UM LUGAR SOB AS PONTES E MARQUISES DAS NOSSAS CIDADES. ISSO QUANDO SOMOS 'BONZINHOS' O SUFICIENTE PARA PERMITIRMOS QUE ELES PERMANEÇAM NESSES LUGARES 'PÚBLICOS'! EMPURRAMOS AQUELES CUJA EXISTÊNCIA PREFERIMOS IGNORAR PARA DEBAIXO DAS NOSSAS PONTES COMO SE EMPURRA PÓ PARA DEBAIXO DOS TAPETES.

A NOSSA FUTILIDADE É MEGALOMANÍACA. CONSTRUÍMOS TEMPLOS SUNTUOSOS E REQUINTADOS, COM ÓTIMOS ACABAMENTOS E QUE OFERECEM TODO O CONFORTO QUE O 'NOSSO REBANHO' RECLAMA. PARA QUÊ?! PARA USARMOS DUAS OU TRÊS VEZES NA SEMANA PARA AS 'NOSSAS' CELEBRAÇÕES?! SERÁ QUE NÃO PERCEBEMOS QUE AS COMUNIDADES NAS QUAIS ESTAMOS INSERIDOS COMO IGREJA NÃO ESTÃO INTERESSADAS NA BELEZA ARQUITETÔNICA DO NOSSO EDIFÍCIO DE EDUCAÇÃO RELIGIOSA E, SIM, NO BENEFÍCIO QUE ESTE PRÉDIO PODERÁ TRAZER SE USADO PARA ABRIGAR PROJETOS DE COMPLEMENTAÇÃO DE RENDA PARA FAMÍLIAS CARENTES, REFORÇO EDUCACIONAL PARA CRIANÇAS, JOVENS E ADULTOS, PALESTRAS DE ORIENTAÇÃO ACERCA DO PERIGO DAS DROGAS, DA GRAVIDEZ PRECOCE, DA VIOLÊNCIA DOMÉSTICA E TANTAS OUTRAS INICIATIVAS REALMENTE RELEVANTES NO CONTEXTO COMUNITÁRIO?! A NOSSA FUTILIDADE NOS CEGA.

CRENTES INÚTEIS. ISSO É O QUE SOMOS. PAGAMOS VERDADEIRAS FORTUNAS EM INGRESSOS DE CAMAROTES E ÁREAS VIPS NOS SHOWS DA MODA E NEGAMOS UM PRATO DE COMIDA A UM PEDINTE QUE BATE À NOSSA PORTA.

NOS DELICIAMOS NOS TEMPLOS DA DEUSA GULA E FECHAMOS OS OLHOS PARA A NECESSIDADE DE IRMÃOS E IRMÃS QUE NÃO SABEM O QUE VÃO PREPARAR PARA OS SEUS FILHINHOS COMEREM AMANHÃ.

TRANSPORTAMOS OS NOSSOS 'CHEGADOS' PARA OS BAILES E FESTAS PROMOVIDAS EM HONRA AO DEUS DESTE SÉCULO E NOS RECUSAMOS A OFERECER UMA CARONA AO IRMÃOZINHO QUE ANDA QUILÔMETROS PARA CHEGAR AO TEMPLO ONDE 'CONGREGAMOS' PARA ADORAR AO 'NOSSO' DEUS. E AINDA TEMOS A SEM-VERGONHICE DE ESTAMPAR OS VIDROS DOS CARROS COM UM ADESIVO ONDE SE LÊ A SEGUINTE FRASE: 'ESTE CARRO É DE JESUS!'. É RUIM DE SER!!!

O EGOÍSMO E A FUTILIDADE DE UNS SÃO A CAUSA DA MISÉRIA E DA DESGRAÇA DE OUTROS. POR ISSO EU APELO A VOCÊ: NÃO SEJA FÚTIL. SEJA ÚTIL. AME A DEUS SOBRE TODAS AS COISAS E AO PRÓXIMO COMO A TI MESMO. SÓ ENTÃO VOCÊ CUMPRIRÁ O PROPÓSITO PARA O QUAL O BONDOSO PAI TE CRIOU: GLORIFICÁ-LO EM TODAS AS SUAS ATITUDES, PALAVRAS E PENSAMENTOS.